Por Gabriel Brasileiro

A Gallup, uma empresa de opinião americana, buscando compreender mais a fundo atitudes e comportamentos dos funcionários, constatou, em seu relatório mais recente sobre o estado do local de trabalho global, que o engajamento psicológico dos empregados em seus trabalhos é baixíssimo em escala mundial. Certo que, considerando os engajados — aqueles psicologicamente comprometidos com seus empregos —, os não engajados — aqueles que não têm motivações e que são menos propensos a investir esforços — e os fortemente não engajados — aqueles que são infelizes e improdutivos —, a porcentagem dos dois últimos tipos de funcionários no mundo é largamento superior ao primeiro tipo. Vejamos:

Nenhuma descrição de foto disponível.

Embora o objetivo da Gallup seja buscar formas de assessorar empresas capitalistas a melhorarem o engajamento dos funcionários, uma perspectiva marxista sabe bem que esses esforços são inúteis, mesmo que possam servir de paliativos. Certo que, como bem explica Marx, o problema está no próprio modelo produtivo, não nos funcionários em si. O capitalismo é um modo de produção alienador e vicioso, em que as pessoas se veem constrangidas a contraírem relações de produção repetitivas que não representam as suas verdadeiras vontades. Isto é, não representam a prática de suas potencialidades que lhes proporcionaria uma verdadeira satisfação. Isso faz com que os trabalhadores não se vejam realizados com seu trabalho, sentindo-se estranhos, alheios, ao que estão fazendo. Contudo, é importante salientar que Marx, desde o Manifesto, não negava o poder do consumo sob o capitalismo, que, com bens barateados e abundantes, podem com certeza propiciar uma maior margem de engajamento psicológico dos empregados que desejam conquistar seus objetivos de consumo. Mas, o que se observa é que, mesmo assim, países que melhor representam o capitalismo em sua forma mais desenvolvidas, como os EUA e os países da Europa Ocidental, ainda possuem forte desengajamento psicológico. Ou seja, como bem descreve Marx, o comprometimento não seria resultado do prazer de praticar a atividade laboriosa em si, mas sim da projeção dos resultados remuneratórios, que representam o verdadeiro fim, o verdadeiro objeto de felicidade, que no capitalismo é provisório. Desse modo, o trabalhador é tomado como uma engrenagem que se submete a um emprego que odeia para conseguir a felicidade instantânea, esta que muitas vezes sequer é mais conquistada quando também vira rotina ou quando não há poder de compra suficiente para investir em novas atividades de lazer.

Ademais, como constata a Gallup, trabalhos intelectuais, típicos de burgueses ou de pessoas que preenchem cargos de maior nível hierárquico dentro da cadeia produtiva, são os que menos enfrentam o desengajamento psicológico. Ficando evidente que há uma assimetria de poder em que os mais hierarquicamente superiores são detentores de uma maior capacidade de tomarem decisões mais relevantes que decidem os rumos dos recursos empresariais. Enquanto os mais subordinados e sem participação mais direta nas decisões referentes ao rumo dos produtos de seus trabalhos sofrem de maior desengajamento psicológico. E, mais uma vez, Marx acerta, pois esse é outro sintoma de alienação, em que o produtor não vê sua marca de realização no produto de seu trabalho, sentindo-se apenas uma engrenagem desumanizada que não toma grandes decisões quanto ao que produz.

Portanto, a fim de buscar a plena realização da humanidade no intercâmbio com a natureza, Marx propõe o comunismo, uma realidade social que, possuindo imensa abundância de recursos sem precedentes, automatização plena que substitua o trabalho humano e acesso livre às atividades desejadas, as pessoas tenham uma gigantesca gama de alternativas de escolha que lhes permitam contrair relações com a natureza e com outros seres humanos e que representem em si mesmas as verdadeiras manifestações de suas vontades. Confira abaixo os resultados estatísticos referentes ao engajamento psicológico de trabalhadores nas mais diversas regiões do mundo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s